domingo, 3 de abril de 2011

DUAS JANELAS


DUAS JANELAS


Na rua Wenceslau Brás
Duas velhinhas moravam
Na casa de duas janelas
Onde elas sempre ficavam

A Margarida era meiga
A Carmelita era brava

Se elas tivessem brigado
Naquela janela ficavam
Cada uma pro seu lado

Mas quando estavam de bem
De longe já se percebia
As duas na mesma janela
Deixavam a outra vazia

As duas muito velhinhas
Nenhuma havia casado
Um grande sonho de amor
Por certo haviam sonhado

Portanto naquele tempo
Que tudo era pecado
Certamente foi pro túmulo
Dois grandes sonhos de amor
Que jamais (foi) consumado

11/01/2006

78 comentários:

  1. lindo e triste ao mesmo tempo.
    O bom que as velhinhas se faziam companhia. rs

    obrigada pelos comentários, sempre cheios de carinho.

    Boa semana.

    bjosss

    ResponderExcluir
  2. Lindo e conheci muitas dessas nas janelas do interior...Eram como múmias e apnas diziam Bá noite! Bom Dia! Bá Tarde! Muito engraçado!
    Até hoje lembro e agora ao te ler pareceram vivas...beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. que pena que as duas velhinhas
    nunca de amor tenham chorado,
    se contentaram em viver ,
    apenas as duas,
    vendo a vida da janela,
    vendo tudo quadrado.

    ResponderExcluir
  4. Quantos sonhos de amor até hoje deixam de ser comsumados...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Sempre se conhece pessoas assim. Elas são doces...
    Um grande bj querida amiga

    ResponderExcluir
  6. linda, linda poesia, amei, beijos terê,

    ResponderExcluir
  7. Amapola querida!
    Escreveu de forma tão linda a história das duas. Coisas do interior que a gente apreende no interior da nossa alma. Lindo tadinhas!
    Beijos e boa semana!!
    Carla Fernanda

    ResponderExcluir
  8. Boa noite !!

    Me fez lembrar de duas irmãs que moravam juntas no final de minha rua , eram velhinhas, sempre juntas ,davam aulas particulares . Saudade ! Adorei !

    Uma linda semana !! Beijos !!

    ResponderExcluir
  9. Oi querida Amapola...
    Simplesmente lindo e singelo este poema que narra uma história de vida.Você escreve com leveza e nos faz sonhar.
    Beijos e tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  10. linda recordação em versos tão melodiosos..
    beijo e boa semana Amapola!

    ResponderExcluir
  11. A imagem é fantastica Amapola,sempre uma viagem ao meu passado distante das Gerais. Aqui um historia de duas vidas numa janela ou mesmo a janela que guarda as historias de pessoas que um dia sonharam uma felicidade e que talvez guardaram num bau criado pela sociedade.Na leveza de sua narrativa a arte de cativar.Lindo isto.Meu abraço mineiro de flor.

    ResponderExcluir
  12. Oi Amapola
    Que gracinha seus versos, tão gostosinhos de ler.
    Aqui na minha cidade temos exemplos como estas duas irmãs.
    Bjos

    ResponderExcluir
  13. Parabens pela narração em versos de uma história de solidão e simplicidade.
    A foto é demais. Bjs Edna.

    ResponderExcluir
  14. Sua criatividade em poetar histórias do dia a dia da vida é tão linda... Adoro vir por aqui, pois sei que vou viajar em minhas lembranças.

    ResponderExcluir
  15. Que belo, sabe que tenho tias assim, uma até casou, mas desencantou e pra casa voltou, disse ser bom com antes, a vida só com sonhos sem sofrer o engano.


    bjos querida, e tenha uma semana de alegrias.

    ResponderExcluir
  16. Cara Amapola...meigo seu codinome...grata sou pela visita e por poder conhecer teu espaço, alíás um deles não? Breve conhecerei os outros, mas desde já aqui farei meus voos também . As duas velhinhas remeteram-me imagens da minha infância ...sabe? Será que amores sonhados à sua maneira também não são formas de "amores consumados"?Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Minha querida

    uma história que podia ser verdadeira, contada de forma magistral, adorei e deixo um beijinho com carinho.

    Sonhadora

    ResponderExcluir
  18. Um encanto esse poema, mas muitos vivem assim sós, mas o mais importante é estar bem consigo mesmo sempre.Beijos

    ResponderExcluir
  19. Qntos planos desfeitos. Promessas não cumpridas. Finais para amores eternos. Muita coisa não se concretiza. Para no meio... pena. Beijos da Joii Amapola.

    ResponderExcluir
  20. Triste,,,delicado e sensivel,,muitas vezes deixamos de realizar os sonhos por ficarmos nas janelas da vida vendo a passar...grande beijo de bom dia pra ti.

    ResponderExcluir
  21. Eu gosto de poesia assim: quando as palavras me puxam fundo para dentro dela. Assim, consegui visualizar casinhas e solteironas de minha infância.

    Obrigada pelo encanto de seu poema logo de manhã aqui em casa!

    Beijocas...

    ResponderExcluir
  22. EITA... Passei, comentei e misqueci do mais importante: uma ótima semana procê, querida!!!

    ResponderExcluir
  23. Olá querida Amapola,

    Lindo seu poema... A amizade é uma das formas que o amor se mostra pra nós. E quando nos damos conta disso, vivemos com mais tranqüilidade, até mesmo pra ver o amor em olhar as duas amigas na mesma janela e a outra ficar vazia...

    Maravilhoso!!!!!

    Beijos

    Ani

    ResponderExcluir
  24. Olá amiga
    Pude visualizar claramente a cena. Lindo e doce poema. Amei.
    Bjux

    ResponderExcluir
  25. Muito linda e emocionante a poesia, podemos ver as duas na janela, na mesma janela, quando estão bem.Parabéns.

    ResponderExcluir
  26. Texto gostoso como prosa de café, em volta da mesa, pelas bandas do sertão.

    Passar um fresquinho pra você prosear mais.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  27. Que delicadeza de versos Maria! Imagino duas vidas vendo a vida passar em frente as janejas. Parabéns e um grande abraço da xará e meio parente Dora Duarte.

    ResponderExcluir
  28. Simplesmente lindo!
    Vc realmente escreve com a alma.
    Parabéns!
    Beijos e uma ótima semana

    ResponderExcluir
  29. QUERIDA AMIGA AMAPOLA, PASSEI PARA DESEJAR-TE UMA SEMANA LEGAL, COM MUITA PAZ E SAÚDE. ACHEI LINDA A HISTÓRIA DAS DUAS VELHINHAS, DO JEITO QUE FOI CONTADA, NÓS ENCONTRAMOS MUITO NO INTERIOR CASOS ASSIM, AS VEZES ATÉ IMAGINAMOS SE FORAM JOVENS UM DIA,UM ABRAÇO CARINHOSO LINDISSIMA AMAPOLA. CELINA

    ResponderExcluir
  30. Amoooo seus poemas,lindos,singelos,puros.Olha, sou sua fã!beijo e uma semana de paz

    ResponderExcluir
  31. Maria, querida, desculpe-me a demora em vir te visitar. Gostaria de te agredecer sempre pelo apoio constante. Espero que estejas e persevere na literatura! Sorte, paz.. Beijo

    ResponderExcluir
  32. OI Amapola, minha Querida!

    Retrato de uma cidadezinha pequena do interior; é essa imagem que me vem na cabeça lendo sua poesia....rs

    Janelas por onde passam vidas!

    beijos pra vc !

    ResponderExcluir
  33. Na janela a olhar sempre esconde um sonho de amor.


    mil beijos!

    ResponderExcluir
  34. Um poema singelo, com imagens comoventes, como costumamos ver aqui no seu blog, Maria!
    Aproveito para agradecer sua presença lá no blog de cinema. Muito simpático e carinhoso o seu comentário.
    Bjoo!!

    ResponderExcluir
  35. Uma perfeita descrição de uma época de vida no campo.Hoje não sei se por lá ainda é assim,mas a lembrança que tenho de duas tias 'coroas' é próprio essa do olhar perdido e curioso ao mesmo tempo na janela.
    Abraços,
    Bergilde

    ResponderExcluir
  36. Um belissimo dia pra ti minha querida amiga...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  37. Belíssimo , Anapola! Lembrei do poeta Quintana que diz: " quem faz um poema abre uma janela".Você abriu várias na minha imaginação.Parabéns pelo talento!!!
    Um abraço amigo.

    E.T. Anapola,obrigada por sua visita ao meu blog e por seu generoso comentário. Grata por estar na lista de amigos que me seguem. Fiquei por aqui também.Gostei muito.abçs

    ResponderExcluir
  38. Querida, Amapola. Mesmo com final triste consegui dar uma risadinhas...e me vi nas janelas, difícil é imaginar uma junção delas, pois sou ambas. hehe
    Bjin,
    K.

    ResponderExcluir
  39. Uma graça sua postagem amada.
    Que de duas janelas uma sempre fique vazia é sinal de que os ânimos estão em plena harmonia.
    Quantos amores a gente já ñ buscou de nossa janela heim!!!
    Saudades amada,me perdoe pela demora.
    Um beijo grande.

    ResponderExcluir
  40. Tem selinho pra você no Olhos do coração!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  41. Amada,

    E quantos sonhos não sonhados, não vividos, eu tbm fico rememorando da minha janela...

    Lindo poema, Amapola!


    Um beijoo irmã tão amada!

    ResponderExcluir
  42. Querida amiga, lindo demais. Beijocas

    ResponderExcluir
  43. Passando pra lhe desejar um bom dia e grata pelo carinho da sua vista.

    Beijos, Deus a proteja sempre.

    ResponderExcluir
  44. Suas lembranças me atiçam a memória da forma mais gostosa que pode haver, Amapola. Morei um tempinho nesta rua, logo no início, depois do viaduto da linha férrea. Êta saudade de Mariana, que cosidero também a minha terra (foram quase 20 anos lá. ) Abraço grande. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  45. Bom dia Amapola!
    Passei aqui bem cedinho para te dizer bom dia e lembrar das suas meigas janelinhas.
    Beijinhos,
    Carla Fernanda

    ResponderExcluir
  46. É sempre assim, quando se considera tudo pecado e fica-se apenas vendo a vida passar..


    #Beijinhos e bom restinho de semana querida!

    ResponderExcluir
  47. Na casa das duas janelas a sensação de olhos protegidos por antigas vidraças.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  48. Lindo, belíssimo.
    Creio que nunca amor, passou pela vida e não viveu.

    ResponderExcluir
  49. Agradeço a sua visita em meu blog e gostei muito do seu, por isto o estou seguindo.

    A poesia é linda e de uma grande ternura.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  50. Ah que coisa linda!
    Amizade verdadeira é isso, não importa quanto tempo passe, nem quantas brigas enfrente. Ela perdura.

    beijos...

    ResponderExcluir
  51. Bonita história em rimas, quase um cordel.

    Abraço, obrigada por seu comentário!

    ResponderExcluir
  52. Vim agradecer o carinho q vc deixou em meu blog, pelo meu níver...obrigada.

    mil beijos!

    ResponderExcluir
  53. Vejam! Faço magia!
    Com esta caixinha de simples cartão
    Não se iludam, nem pombas ou coelhos
    Não há truque...perdão!?

    E então?! Que emoção
    Encontrei algo aqui neste bolso esquecido e roto
    Espera aí o que é isto meus senhores?!
    Ah...! É uma pedra mágica que pensei ter dado em mar revolto

    E vou cantar uma adivinha
    Vou desenhar uma ideia minha
    Vou inventar uma musica em surdina
    Vou dançar sem bailarina


    Mágico beijo

    ResponderExcluir
  54. Cada época com sua janela, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  55. Oi, Amapola
    Que coisa mais linda e mais gostosa de se ler!!! Parecia que um filme estva rodando: eu assistia e lia ao mesmo tempo.Linda a sua escolha!
    Beijos com muito carinho!
    Em tempo, adoro suas visitas nos meus cantinhos. Sonhe com os anjos!!!

    ResponderExcluir
  56. Amapola,tuas rimas estão virando lindas rimas de cordel.
    Gosto muito, e esta história ficou fascinante neste estilo de arte, parabéns e um abraço do teu leitor.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  57. Um belissimo dia pra ti minha querida amiga,,,cheio de carinho, paz e poesia...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  58. Um dos poemas mais singelos e profundos que já li nessa bloguesfera. A ternura, o companheirismo, a birra, o bem querer... a solidão a dois, ou, a duas...
    Uma boniteza só.
    Tenho gente minha no interior de Minas. E me deu uma vontade danada de visitá-los. Mas estou tão longe... Recife fica a us 2000km de lá. Hoje vou em espírito, levado pela tua poesia!

    Grato.
    Abração.

    ResponderExcluir
  59. Querida amiga Sonhadora.

    A história é verdadeira.
    Essas duas senhoras eram nossas vizinhas. Uma delas era madrinha da minha irmã.

    Ao brincarmos na rua, elas se divertiam, e nos chamavam para tomar café com biscoito.

    Em cima dos móveis, sempre havia um forrinho de crochê, que elas mesmas faziam. Um deles, cobria o filtro até o meio.

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  60. Que lindo, amei os versos, lembrou-me das velhinhas dos grupos de oração que frequentei na juventude, com uma inocência que somente um grande amor não consumado pode trazer.
    Gostei muito do seu comentário, foi triste saber da sua perda e do sofrimento que esta causou, mas a superação deste e o grande ânimo que você demonstrou para continuar vivendo e nos presentear com esses posts maravilhos é admirável!
    Beijo
    Adri

    ResponderExcluir
  61. E essa é uma historia que era muito vivido na epoca, tenho mulheres na minha familia que não casaram e bem provavel tenha sido esse o motivo!

    ResponderExcluir
  62. Um lindo poema amiga..
    E tocou meu coração eu tenho uma tia ñ se chama Maria ,,e sim Lidia hoje com mais de 70 anos vive sózinha por um amor que não pode viver em sua plenitude.
    beijos fraternos ,Evanir.
    http://aviagem1.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  63. Amapola,que graça essas duas velhinhas na janela!Uma poesia muito graciosa e gostei demais!Bjs,

    ResponderExcluir
  64. Oi minha linda amiga!

    Passando pra te deixar um beijo e te agradecer pelos recadinhos tão carinhosos!
    Ainda estou um pouco afastada de tudo, espero voltar em breve...

    Meu carinho.

    ResponderExcluir
  65. Vim te deixar um beijo todo especial.
    Obrigado pelo seu carinho.

    ResponderExcluir
  66. Querida Amapola!

    Que poesia linda!
    Começo, meio e fim das duas, com direito a nostalgia.

    Beijos

    ResponderExcluir
  67. Oi,Amapola!!

    Que lindos versos!!Mas tão triste passar a vida e não realizar os sonhos de amor...
    Beijos minha querida!!

    ResponderExcluir
  68. Ai, que lindo!
    Na tristeza, duas velhinhas unidas na janela. Deu medo de me tornar uma delas. Hehe

    ResponderExcluir
  69. Que triste delas não terem vivido o amor.
    O texto como sempre muito sensível.

    Saudades.

    Beijos

    ResponderExcluir
  70. Nossa, que triste.

    Quem parte sem conhecer o amor não viveu.

    + um beijo, amada.

    ResponderExcluir
  71. Oie Maria. Grata por visitar meu blog cultural e me seguir. Amei o seu estilo literário... suas poesias tem uma riqueza de imagens incríveis!
    Acesse também o meu blog de poemas e frases minha linda: http://mary-paes.blogspot.com
    bjus

    ResponderExcluir
  72. ah Ama ah amiga Amapola eu fiquei esperando mais desse conto poxa vida estava tão bom de ler!
    Realmente todas nós realizando ou não sonhamos com o amor . O amor está ao nível do inconsciente coletivo amiga! (suspirei) Ainda não fui feliz no amor eu queria muito!
    Passei para desejar pra ti Uma Páscoa abençoada cheia de muita paz, harmonia e felicidade a ti e a todos de sua família.
    Receba o meu abraço e o meu carinho

    Beijos

    ResponderExcluir