sábado, 26 de março de 2011

MAIS QUE GANGORRA

MAIS QUE GANGORRA


A nossa gangorra alta
Era minha terapia
Sempre eu corria pra ela
Quando meu coração doía


Sozinha eu voava bem alto
Para o vento meu rosto soprar
Aliviando o desgosto
E meu coração não parar

10/01/2006

81 comentários:

  1. Àco, aco, aco.... Eu sou um lindo macaco!!
    Orra , orra , orra,,, Também quero balançar nessa gangorra... hehehe

    Amapola... Liga não, macaco é mêi pancadão.. rss

    Beijo
    tatto

    ResponderExcluir
  2. Que bonito! Sem dúvida que aliviava qualquer que fosse o desgosto porque voávamos!

    *Beijinho, minha querida

    ResponderExcluir
  3. Para além dos pássaros, só as crianças têm a faculdade de voar...
    Gostei do teu poema, mas não sabia o que era uma gangorra. Tive de ir ao dicionário. Estamos sempre a aprender.

    Bom fds

    Runa

    ResponderExcluir
  4. Bom demais um gangorra ,liberdade pura de criança.
    Um belo domingo pra você menina. Bjsss.Edna

    ResponderExcluir
  5. gangorra de criança, que coisa boa é balançar, voar bem alto para os sonhos alcançar.
    Eu adorava, dizia que ia enconstar no céu.

    ResponderExcluir
  6. Como era bom brincar de gangorra, balanço e todas as variações "piques".

    Bj.

    ResponderExcluir
  7. Olá.
    Que surpreza agradável enontrar seu blog.
    A vida se assemelha a uma gangorra...(risos)
    Saudações poéticas!

    ResponderExcluir
  8. rindo aqui do seu amigo Guará... "todas as variações de pique".

    Boa noite, amiga.
    Lindo seu poema...

    bjosss

    ResponderExcluir
  9. Que bonitinho amiga, adorei!!
    Um grande beijo

    *Simone*

    ResponderExcluir
  10. Perfeito, muito lindo...

    Bjss Confissões Insanas

    ResponderExcluir
  11. belo poema. "a vida é uma verdadeira gangorra! lindo domingo pra vc, bjus tere.

    ResponderExcluir
  12. Amapola agora senti até o ventinho da gangorra. Tive muitas também.
    Lindo demais!!!
    Agora tenho lista de blogs!!
    Beijos,
    Carla Fernanda

    ResponderExcluir
  13. Olá querida!
    Passando para lhe desejar um bom final de semana
    Beijos meus

    ResponderExcluir
  14. O baloiço era a nossa brincadeira favorita e andávamos à vez.
    Quantos sonhos por lá ficaram como se fossemos anjos que se perdem no ar.

    ResponderExcluir
  15. Também não sabia o que era uma Gangorra, mas agora já sei, e sei que era muito bom brincar e voar nela.
    Um beijinho enorme para si,
    José.

    ResponderExcluir
  16. Bom dia !!

    Nela se despertar o desejo de voar !!

    Lindo domingo !! Uma maravilhosa semana !!

    Beijos !!

    ResponderExcluir
  17. Sempre temos um cantinho para nos escondermos, quando nos sentimos sós.
    Tenha uma linda semana
    Bjux

    ResponderExcluir
  18. Temos sempre um cantinho que nos acalma... acho que hoje minha gangorra é o http://olhosdocoracao-danielle.blogspot.com/

    Bjs!

    ResponderExcluir
  19. Que saudade da infância,

    Lindo!!!

    ResponderExcluir
  20. Lembro que na minha velha casa de quando eu era pivete tinha um balanço preso numa amendoeira...

    Hoje nem a amendoeira existe mais.
    É nostalgicamente triste...
    Beijo. ;*

    ResponderExcluir
  21. que gangorra deliciosa... dá logo vontade de ter uma assim!

    ResponderExcluir
  22. A voce um abraço nesse lindo Domingo
    desejo seja que ele muito feliz .
    Obrigada por seguir meu meu blog
    ofereço minha amizade pois não existe riqueza maior que uma Amizade Sincera
    Um feliz Domingo beijos no coração,Evanir.

    http://.aviagem1.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  23. Que coisa linda e leve!Relaxante mesmo! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  24. Quando leio esses seus posts tão lindos, eu volto lááá no meu passado, nas minhas memórias de gangorras, balanços.
    Realmente ali não tinha dor, éramos livres, e tinhamos a melhor infância do mundo, mesmo com tantas necessidades materiais.

    Eu era feliz. E SABIA!

    Um beijo minha irmã do coração.

    Amo você!

    ResponderExcluir
  25. Eu acabei de postar meu comentário qdo subiu o aviso de recebimento de email.
    Fui ver, era você!

    Que sintonia amada!

    Eu digo, somos ligadas pelo amor, pelo pensamento, por tudoooo.

    Obrigada por TODA força que vc me dá amada.
    Talvez vc não imagine como ler suas palavras, são um bálsamo pras minhas feridas.

    AMOOOOO VOCÊ, E AGRADEÇO A DEUS PELA SUA EXISTÊNCIA!

    ResponderExcluir
  26. Que lindo!
    Doces lembranças tuas palavras me despertam.
    Voar era sempre uma terapia.

    beijos, bom finzinho de domingo*

    ResponderExcluir
  27. Esse lugar me lembra em tudo meu teclado e o barulho do som ao digitá-lo... e espero, através da minha janela bem na minha frente, ver um arco íris colorido pulsando meu coração de vida...

    Lindo seu versinho, simples e forte.

    ResponderExcluir
  28. Oi querida...
    Muitos dizem que é justamente no movimento que encontramos o equilíbrio, assim imagino o quanto deve ser bom voar para cima e para baixo, exorcisando os sentimentos. Linda poesia,
    beijos e uma ótima semana com muita paz e amor.

    ResponderExcluir
  29. Quando nos sentimos sós, precisamos de uma lugar assim, pra ficarmos conosco.Belo poema, já te sigo.Obrigada pela visita e uma linda semana pra vc.

    ResponderExcluir
  30. Amapola e esse é o brinquedo preferido de minha filha,até filmei uma vez ela sorrindo sem parar no vai e vem do balanço.
    É a sensação de liberdade que ele dá.
    Abraços pra você!

    ResponderExcluir
  31. Amapola, bom dia! Quando eu faço umas caminhadas ou pedaladas em volta da lagoa da Pampulha, sempre tem alguem que colocaa por lá umas gangorras e deixa por uns dias. Acredia que eu, esse marmanjo não resisto e dou umas balançadas de vez em quando? rssrs

    Adorei os versos. Abraços, ótima semana. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  32. Quando criança nossos problemas se apresentam de forma diferente, mas as respostas são tão atuais. Vontade de correr para a gangorra.
    Abraços,
    K.

    ResponderExcluir
  33. Esses briqnuedos da infãncia estão cada vez mais esquecidos pelas crianças de hoje; não por culpa delas, mas por nossa culpa que preferimos colocá-las "bem quietinhas" em frente a um vídeo-game.

    Querida Amapola, querida Amiga:

    Ainda bem que meus filhos forma criados praticamente em um sítio e cheios de tudo que uma infância sadia pode oferecer. esse foi o tesouro que dei a eles. Direiro de ser criança.

    Saudades...beijos sempre com meu carinho e amizade!

    ResponderExcluir
  34. Olá!!!

    Esta ai uma brincadeira que nunca fiz, frustrei agora.. rs
    eu fui um menino bobo , por ser gordinho sempre achei q eu nao podia uma série de coisas.., bobo fui eu!!

    Adorei teu post e adorei lembrar de algo que ainda posso fazer... rsrsrs

    Um beijo enorme!!

    Te espero no Alma.

    Vinicius.

    ResponderExcluir
  35. Oi querida Amapola,


    Precisava tanto de uma gangorra hoje....rs


    Beijos

    Ani

    ResponderExcluir
  36. Minha querida Amapola,


    Seu carinho encheu meus olhos de lágrimas e meu coração de carinho e crença que ainda existem pessoas boas como você.

    Ao ler suas palavras me senti em um abraço apertado e cheio de carinho. Obrigada estava mesmo precisando....

    Muito, muito, muito obrigada por você estar na outra ponta da minha gangorra hoje e estar aliviando o desgosto e fazendo com que meu coração não pare...Me fazendo subir bem alto, tão alto que quase consegui voar.

    Se um dia precisar de mim é só gritar que eu corro. E como os mineirinhos mesmo dizem: Minas é um tirinho de espingarda... Logo ali...

    Milhares de Beijos

    ResponderExcluir
  37. Amapola,


    Assim, até eu venho para sua gangora!

    Um abraço, Marluce

    ResponderExcluir
  38. Lindo blog e lindo sentimento expresso em versos delicados. Parabéns!

    beijos e uma linda semana

    ResponderExcluir
  39. Oi Amapola...
    Grato pelo carinho da visita e o comentário no Irmão das Estrelas...
    Fiquei triste sim com o fim do programa da Regina...não curto tanto os Caras de Pau...eu prefiro ( e já os vi) individualmente, em shows Stand-Up...saem-se melhor...mas cada qual com seu gosto...hehehe

    Adorei o "passeio" de gangorra...faz a gente voltar no tempo...hum rum...

    Um bjo carinhoso e Deus te abençoe ! Apareça sempre..

    ResponderExcluir
  40. Sim, a vida é uma gangorra, e é ela q faz com q mantenhamos os pés no chão.

    ResponderExcluir
  41. No vem e vai da gangorra, lembramos o passado, que nos impulsiona para ir em frente. Qnto mais frio na barriga e vento no rosto, maior a sensação de liberdade, quanto mais alto melhor. Beijos da Joii. Seguindo-te aqui.

    ResponderExcluir
  42. Você fugia para a gangorra, eu para o colo da minha Tivó Albertina, que simplesmente abria os braços e me aconchegava toda, sem perguntas, sem nada, simplesmente um colinho, mas que valia ouro... Seu Poema ficou lindo e bem me emocionou, pois me lembrou da minha Tivó que prefiriu não ter ter uma história própria, para assistir e acompanhar a nossa história: minha e de meus três irmãos.

    ResponderExcluir
  43. Rs.. que fofa.

    Eu morria de medo de balançar. Quando eu era criança ia pra uma chácara com minha amiga, lá tinha um balanço bemmmmm alto e eu morria de medo. até que um dia me pegaram de surpresa e me balançaram sem parar, eu fui tão alto que pensei que ia voar. Fiquei com tanto medo, mas depois passou.. rs. Aff, essas crianças..

    Amiga, tem selinho pra vc lá no meu blog, passa lá.

    Um beijo enorme e ótima terça.

    ResponderExcluir
  44. Não deixa de ser uma
    boa saída, por certo lhe tráz um alívio na alma...

    beijoo

    ResponderExcluir
  45. Lindo , delicado e doce momento da vida,,,voar pra ser tocado pelo vento,,,impedindo assim o coração de parar...beijos e beijos de bom dia.

    ResponderExcluir
  46. Me transportei à minha infância. Uma excelente semana pra você Amapola. Bjos.

    ResponderExcluir
  47. Minha irmã,

    Bom diaaaaaaaaaa!

    Vim deixar um abraço gigante!!!

    ResponderExcluir
  48. Oi minha flor.
    Posso te falar uma coisa?
    Até hoje curto gangorra,me da uma sensação de liberdade rs.
    Beijos minha linda.

    ResponderExcluir
  49. belo e natural, seu poema. obrigado por sua presença carinhosa. Foi bom visitá-la.

    abraço amigo,

    Véu de Maya

    ResponderExcluir
  50. Oi amiga, obrigada pela visita.
    Um beijo no seu coração

    *Simone*

    ResponderExcluir
  51. Nada como encontrar "a gangorra" que consegue aliviar aquela angustia que sentimos em alguns momentos!!Ou...que seja so pra nos trazer aquele simples prazer que merecemos sentir de vez em quando!!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  52. Olá querida Amapola!

    passei por aqui para vir dar uma voltinha de gangorra.

    Desejar-lhe um boa noite,
    um beijinho grande,
    José.

    ResponderExcluir
  53. Querido amigo José.

    Adorei!! Acho que você precisa mesmo, por causa da política atual aí no seu país (Portugal).
    Eu lhe empresto a minha, com muito prazer.

    Beijos no coração.

    ResponderExcluir
  54. Maria querida!!
    Super obrigada pelo seu comentário la no blog da Débora (Amar ser Mae)!!! Acabei de ver!
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  55. Minha querida

    Um belo poema que me fez voltar a ser criança, adorei e deixo um beijinho carinhoso.

    Sonhadora

    ResponderExcluir
  56. Quando era pequena, tinha uma velha árvore perto do tanque da minha mãe. Nela colocávamos um pneu velho e nos balançávamos até não poder mais.

    Tempos tão bons!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  57. Calei a alma
    Aprisionei o sentir deste estúpido coração
    Mergulhei o corpo em agua dormente
    E lembrei-me de uma esquecida oração

    De quantas palavras se faz a melodia?
    Para onde caminham os passos de uma criatura perdida?
    O que será que pensa um homem caído?
    Para que serve a verdade incontida?

    Perdi a vela do meu barco de papel
    Mil tempestades assolaram-me à alma
    Abandonei o leme ao deus dará
    E encontrei uma deusa em lágrimas, de perdida chama

    Mágico beijo

    ResponderExcluir
  58. Ah infância querida,que saudade, que delícia, pena que tão distante. Beijos!!

    ResponderExcluir
  59. "oh! que saudades que tenho da aurora da minha vida da minha infancia querida que os anos não trazem mais…"

    ResponderExcluir
  60. sensação de liberdade...
    Beijo d'anjo

    ResponderExcluir
  61. Oi, Maria
    Voltei tão verdadeiramente no tempo que até senti um frio na barriga balançando na gangorra. Sentimento de pureza, de ingenuidade, de liberdade! Lindo!
    Achei estranho. Pq eu não estava ainda te seguindo? Já me redimi!!!
    Aqui nesse cantinho tá tudo perfeito.
    Beijos, com carinho!

    ResponderExcluir
  62. Ah que gangorra mais encantadora.
    ADOREI, AMEI, APAIXONEI.

    Brigadinha por seu carinho lá no Rabiscos, tá?

    Aqui fica um doce beijo no teu ♥

    ResponderExcluir
  63. Li Namoro a Moda Antiga, nossa que lindo...era bem assim mesmo.
    Hoje perdeu todo encanto, os jovens nem sabem o que é flertar...rsrs.
    Vou ler mais de você, estou amando.
    Beijos de uma linda noite Amapola.

    ResponderExcluir
  64. Deliciosa lembrança.
    A infancia tem recursos simples para coisas complicadas

    Beijos Amapola!

    ResponderExcluir
  65. Lindo e simplório ao mesmo tempo esse seu poema. Lembra momentos inocentes de uma infância feliz. Beijos poéticos.

    ResponderExcluir
  66. Olá Amapola
    Vim retribuir e agradecer a visita ao Amar ser Mãe. Obg também por se tornar seguidora... apareça por lá sempre que quiser, será um prazer ! Também adorei o seu blog e os seus poemas. Parabéns ! Voltarei mais vezes... beijinhos

    ResponderExcluir
  67. Um dia recheado de carinho, paz e muita poesia pra ti amiga...beijos.

    ResponderExcluir
  68. Obrigada por suas palavras referente a Campanha de Doação de medula óssea. Nossa união pode ajudar a salvar mais vidas!

    Como eu gostava de gangorrar... Voltei no tempo lendo o poema!
    Um abraço carinhoso

    ResponderExcluir
  69. Perfeito,

    Não nada melhor que sentir a liberdade de voar...

    Bjss

    Confissões INsanas

    ResponderExcluir
  70. Na gangorra da vida, Maria, sempre procuramos uma válvula de escape para as nossas emoções. Beijos

    ResponderExcluir
  71. OI QUERIDA, ESTAVA LENDO OS SEUS VERSOS, TEM MUITA PASSAGEK DE MINHA VIDA NELES , AS MANGAS MADURINHAS DEBAIXO DO CAPIM , GOSTAR DE SE BALANÇAR, AQUÍ O NOMP É TRAPEZIO.O MEU MÉDICO ESTÁ MARCADO PARA AMANHÃ AS DEZESEIS HS. ASSIM QUE CHEGAR TE CONTO O RESULTADO. UM ABRAÇO CARINHOSO LINDISSIMA AMAPOLA. CELINA

    ResponderExcluir
  72. Na gangorra do coração o ventilar de tudo.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  73. No balanço desta gangorra, a vontade de voar e viajar neste voo,que me remete a infancia feliz.Hoje olho para estas crianças de playgorund e fico a imaginar,quanta falta de criatividade imposta a elas.Meu abraço belos versos.

    ResponderExcluir
  74. O seu mundo era no balanço e eu nas árvores nos galhos mais altos que alcançava, quando me sentia ameraçada por alguma coisa, como também quando estava triste, era o meu mundinho e dos passarinhos. Lindo versos. Bjos.

    ResponderExcluir
  75. Nesta minha 1ª visita

    achei o blog variado e interessante:

    Saudações poéticas

    ResponderExcluir
  76. Maria, teu blog devia se chamar "Memórias de uma simples e ENCANTADORA Maria"

    Tudo lindo aqui...

    ResponderExcluir
  77. Estava a procurar uma imagem de uma criança se balançando e encontrei esta aqui, muito bonita e, de brinde, uma bela poesia.

    E precisava dessa imagem exatamente para ilustrar uma pequena poesia minha, um hai-kai:

    Na lembrança
    a criança
    se balança

    Aproveito a oportunidade para convidá-la a conhecer meu blog, Experimentações poéticas:

    http://daniela-versieux.blogspot.com

    Parabéns pelo blog, abraços!

    ResponderExcluir
  78. Que preciosas palavras... sentimentos...

    A gente se transporta pra essa gangorra e pra infância que "ela" viveu...

    Também... Simplesmente uma Maria... como todas...
    Simples e belas..

    Beijos...

    ResponderExcluir