segunda-feira, 11 de abril de 2011

OS CIGANOS

OS CIGANOS


No meio dos anos cinquenta
Uma grande caravana
Trazendo muitos ciganos
Se acampou em Mariana

Pessoas chamativas
Cheias de cores e brilhos
Todas muito bem vestidas
E no corpo das mulheres
Muitas saias compridas

Lenços bonitos de cetim
Cobriam suas cabeças
Deixando as mechas compridas
Deslizando sobre as sedas

Quando o vento aumentava
Aqueles longos cabelos
Pareciam endoidar
E sobre as ondas de ar
Disparavam a dançar

Depois que o vento parava
Pouco a pouco sobre as costas
As mechas se acomodavam

Tornou-se a grande atração
Daquela pequena cidade
Aquele desfile bonito
Que mais fazia lembrar
Cena de filme bíblico

Eles andavam em bando
Enquanto janelas se abriam
Pras pessoas curiosas
Os guardarem na memória

Com grandes brincos de ouro
E também lindos colares
As ciganas nos paravam
Querendo ler nossa sorte

Mal começavam a falar
Para um brilho dourado se notar
Eram os dentes de ouro
Marca forte desse povo
Que sua riqueza queria mostrar

Enquanto elas nos abordavam
Os homens batiam nas portas
Vendendo tachos de cobre
E outros objetos de arte

Alguns tinham sotaque
De uma língua estrangeira
Fazendo esforço pra falar
A nossa língua brasileira

No meio de tantos homens
Um rapaz se destacou

Ele era bem bonito
Alto, magro e elegante
Com cabelos muito pretos
Roupas muito coloridas
Parecia um artista
Numa praça de Madri

Povoou a fantasia
De muitas moças do lugar
Como um príncipe encantado
Que tivesse saído de um livro
Para ali se acampar

Perto da tenda deles
Todas queriam passar
Na esperança que ele
Lhes concedesse um olhar

E pra desencanto delas
Um dia saiu um boato
Que aquele lindo cigano
Ia enfim se casar

O acampamento era imenso
Nós fomos lá para ver
Parecia cenário de um filme
Que alguém estivesse a fazer

As ciganas não paravam
De um lado pro outro andavam
Com vasos sobre a cabeça
Muita água transportavam

Foi num dia de domingo
Que aquele belo cigano
Escolheu pra se enlaçar

Do lado de fora do cercado
Muita gente curiosa
Contemplava a alegria
Daquela gente misteriosa

Leitão assado pra todo lado
Que nós só sentimos o cheiro
Muito vinho nas garrafas
Para aquele povo festeiro

Dançando no centro da tenda
Os noivos estavam felizes
E todos batiam palmas
Igual num conto de fadas

04/04/2006

65 comentários:

  1. Linda memória, linda cena
    Um grande bj querida amiga

    ResponderExcluir
  2. Que lindo amiga!!!
    A cultura cigana sempre me encantou. Adorei a poesia. Parabéns!
    Bjos

    *Simone*

    ResponderExcluir
  3. Que linda história essa e colocaste todos os detalhes, parece estar lá vendo.Lindo! Faltou a música, senão dançaríamos juntos,rsrs beijos,chica

    ResponderExcluir
  4. A vida é bonita, é bonita, é bonita...

    E tem cor que a gente pinta...


    Lindo, lindo...

    Muita inpiração.


    Bjãoooo

    ResponderExcluir
  5. Uma linda homenagem a cultura cigana, beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá Amapola
    Quando era criança morria de medo de ciganos, minha mãe dizia que eles roubavam crianças e levavam com eles. Perto da minha casa tinha um lote vago que eles viviam armando suas tendas lá.
    Uma linda semana para você
    Bjux

    ResponderExcluir
  7. Oi Amapola, boa noite.
    Tal qual seu poema, na minha adolescência tivemos um caso assim, aqui em Pedro Leopoldo. Um cigano lindo, moreno,de nome Carlos, encantou tantas meninas, inclusive a mim, passávamos perto do seu acampamento só para vê-lo, inclusive conversávamos com ele.
    Um belo dia ficamos sabendo que ele iria se casar, pra tristeza nossa.
    O casamento foi um acontecimento na cidade, fomos assistir, não perderíamos por nada. Lembro-me que saí de lá meio impressionada com todo aquele ritual, durante dias aquilo me impressionou, depois eles foram embora, o tempo passou, mas nunca esqueci este episódio.
    Aproveitando, agradeço seu comentário delicado sobre minha filha.
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Gostei da construção do poema.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  9. Eles traziam sempre um colorido e sua alegria para as cidades,por onde passavam.
    Tenho também muitas lembranças deles.
    Um grande bj. Edna

    ResponderExcluir
  10. Eu adoro a forma como você conta essas suas memórias, não tem como não formar um quadro na cabeça...

    Beijão, querida!!!

    ResponderExcluir
  11. Que lindo retrato você fez aqui, amiga!
    Costumo dizer que tenho alma cigana, pois não sou avessa a mudanças, amo cores e adereços, a alegria de viver e o gosto por dançar!
    Adorei!
    Beijo!
    http://tengasonrisa.blogspot.com
    http://tengacreencia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Amada,


    Eu tbm quando era criança morria de medo deles.
    Diziam a boca pequena que eles roubavam crianças.
    Hoje, na idade madura, sei que eles são pessoas felizes dentro do que acreditam.
    Aqui na minha cidade, vira e mexe, eles aparecem.

    Eu acho bonito.

    Um beijo irmã querida!

    ResponderExcluir
  13. Amapola na minha cidade também passam essas caravanas de ciganos. E são ricos, com cada carrão, cada cigana linda, cheia de jóias, cabelos longos. Meu tio disse que são donos de fábrica de cobertores em São Paulo. Ano passado teve casamento onde eles estavam acampados eté o prefeito foi.
    Quando era criança minha tia fez amizade com umas ciganas lindas. Elas iam lá para tomar banho de chuveiro. Tenho lembranças deles também...kkkkk
    Belo! Vale!
    Beijos!!
    Carla

    ResponderExcluir
  14. Amapola, queridona, boa noite.

    Um povo muito misterioso... não conheço nadinha deles, nunca procurei saber, mas vc aguçou a minha curiosidade. vou caçar por ai, para saber mais.

    Boa semana, boa noite... e

    Amiga, ri muito com seu comentário.
    Quer dizer que até o seu silêncio já deturparam???

    obrigada pelo comentário, carinhoso, que muito me alegrou.

    bjos

    ResponderExcluir
  15. Querida amiga, que linda poesia. Adoro a cultura cigana, sempre alegres, festeiros, de bem com a vida, convivi com vários e só tenho boas lembranças desse povo. Mulheres lindas, sempre enfeitadas de joías belíssimas, homens bonitos, galanteadores. Tenha uma linda semana. Beijocas

    ResponderExcluir
  16. Oi querida...
    Na época de faculdade fiz alguns trabalhos de pesquisas sobre este povo e sua cultura, que por sinal é muito interessante. Fiquei apaixonada por tudo e hoje o que vc conta com graça e rima me fez lembrar esta linda época de minha vida.
    Beijos e tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  17. olha que coisa mais linda, amei, bju terê.

    ResponderExcluir
  18. Acho linda a cultura cigana!!!!!
    Beijo e boa semana...
    Helena

    ResponderExcluir
  19. Vc tem o dom de nos transportar para dentro da tua poesia. Lindo demais.Bjs

    ResponderExcluir
  20. Boa noite, se todos nós fossemos um pouco cigano, estariamos todos coloridos e nao haveria separação de cor...Ser livre e vicer em comunidade é o exemplo vivo de quem tem solidariedade...Acredito que os ciganos são felizes do jeito que são, pois sem duvidas são livres no seu modo de pensar e agir...Lindo e obrigada por esse momento divino de um mundo colorido...o do ciganos!Bjin e fique com DEUS!

    ResponderExcluir
  21. Amapola, minha Querida, fui vendo tudo, sentindo o vento...o barulhinho dos adornos das mulheres, a música...

    Entrei na dança....rs
    Entrei nas cores, nas vozes, na caravana!

    Quando era criança fui passar umas férias em São José do Rio Preto e fomos em um sítio de uma prima que ficava poucos quilômetros da cidade. Foi a primeira vez que vi um acampamento com ciganos e também fiquei fascinada com a música, a dança, as crianças com aquelas roupas coloridas. Foi quando minha mãe me explicou que era um povo sofrido, sem terras, discriminado...

    Acho que poucas coisas mudaram no mudo, exceto a maldade do homem que aumentou muito.

    Um beijo, minha Amiga do coração! Meu afeto sempre com vc !

    ResponderExcluir
  22. Esses nómadas chegaram aqui a Portugal,à já alguns séculos não faziam nada e ainda hoje não o fazem, no entanto alguns vivem à rica e à Francesa, têm lá a sua maneira de viver, e só se aproximam de nós quando é para pedir qualquer coisa, ou então para negociar, onde quase sempre ficamos enganados.
    Belo poema.

    Beijinho grande,
    José.

    ResponderExcluir
  23. oi Amapola,
    bom dia...

    que envolvente esse teu poema...
    me levou até o acampamento...

    as cores vibrantes me encantaram,
    os sons das alegres músicas,

    até os cheiros consegui sentir...

    lindo,
    lindo

    muitos beijinhos

    ResponderExcluir
  24. Linda memoria minha amiga,,,é tão gostoso relembrar,,,poder em pensamentos e lembranças se encaixar novamente em momentos bons da vida,,,grande beijo de bom dia...

    ResponderExcluir
  25. Querida amiga, agradeço o teu comentário gentil. eu sempre tive atração por ciganos, não sei se pela música ou pela vida de não parar viver sempre se mudando, quando garota eu me via dançando ao redor de uma fogueira ao som de uma música linda mais tarde vim saber que em uma das minhas encarnações eu teria sido uma cigana, hoje em dia só herdei a vontade de vajar de estar sempre me mudando, quando passo muito tempo sem viajar chego a ficar nervosa, vou nem que seja para João Pessõa, que fica menos de duas horas do Recife, e eu adora a cidade.Bem querida não precisa dizer que adorei a postagem em forma de poema. um abraço carinhoso lindissima Amapola. Celina

    ResponderExcluir
  26. Oi querida....

    Suas memórias contadas tão lindamente, faz a gente prestar mais atenção na história de um povo que pra mim parecia tão distante e que você trouxe pra tão pertinho.

    Lindo!!!!

    Você é muito especial.

    Beijos

    Ani

    ResponderExcluir
  27. Adoro narrativas (acho que já disse isso aqui e não lembro) e a dessa sua poesia ficou extremamente linda!
    Me encantou bastante esse trecho de vida de ciganos esquecidos. =)
    Beijo. ;*

    ResponderExcluir
  28. Bom dia,Amapola!!

    Que bela história contada em versos!!!
    Minha querida és incrível teu estilo de escrever!!
    **Sabe uma coisa engraçada...minha vó,até hoje, morre de medo de ciganos!!rsrsr
    Nunca entendi...
    Beijos pra ti!!
    Tenha uma linda semana!
    De paz e amor!!

    ResponderExcluir
  29. Pertinho da casa dos meus pais há um acampamento de ciganos. No centro da cidade eles sempre estão presentes.
    Mas conhecer suas histórias e culturas é uma curiosidade.
    Obrigada por essa linda poesia.
    Abraços de boa semana, querida.
    K.

    ResponderExcluir
  30. Boa tarde !!

    Linda história !! Um povo livre ,colorido e amoroso .

    Uma tarde maravilhosa !! Mil beijos !!

    ResponderExcluir
  31. Um povo que me atrai pela personalidade ,o mistério.Sinto medo e atração,incontestável abeleza da sua cultura.Raça injustiçada e perseguida ,mas muito forte e faziam da dança um arma de protesto.Isso tudo só pode dá poema bonito assim.
    beijo grande

    ResponderExcluir
  32. Minha Querida, que coisa linda! Ameeeeeeei, até pq acho que sou meio cigana, nunca paro muito tempo em um lugar, estou sempre rodando e rodando, mudando e mudando, e ainda vou mudar mais, fisica e interiormente. Com toda certeza!
    Post rico! Parabéns! Beijo, beijoooo!
    She

    ResponderExcluir
  33. Esse lado dos giganos é muito lindo!!!
    Encantador.
    Obrigado minha linda pela visita.
    Gosto muito de te ler viu!!!
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  34. Maravilhosa a capacidade descritiva da tua poesia: conseguimos visualizar toda a história.Parabéns!
    Beijo

    ResponderExcluir
  35. Oi querida.. eita povo misterioso e alegre né?
    É um povo de cultura muito particular e atraente, que a mim me causa uma certa inveja, pela maneira nômade que muitos vivem. Conhecem vários lugares, várias pessoas e ganham o mundo. Parabéns e bjks TPM

    ResponderExcluir
  36. Teu conto esta fenomenal:)...nada contra os ciganos mas...a maioria não são de confiança...
    Beijo d'anjo

    ResponderExcluir
  37. Vida alternativa, Amapola, que provoca os paradigmas sociais. Beijos

    ResponderExcluir
  38. Querida ..
    Seu poema é lindo assim como seu nome .
    Eu queria me chamar Maria mais meu pai não sabia
    e colocou esse nome em mim mais ja faz tanto tempo me acostumei amiga.
    Creio vir no seu blog para mim é motivo de alegria é maravilhoso ler aquilo que mais gosto..poesia.
    beijos e beijos,Evanir.
    www.aviagem1.blogspot.com

    ResponderExcluir
  39. gostei dos teus versos de recordação e homenagem querida Amapola..
    beijos

    ResponderExcluir
  40. Minha querida

    Um poema cheio de recordações que nos leva também às nossas proprias lembranças, lindo como sempre.

    Deixo um beijinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  41. Você e sua linda marca de contadora de histórias em forma de Poesia, que lemos e quando terminamos nem acreditamos que acabou e ficamos querendo que você logo, rapidinho, poste outra.
    Os Ciganos... você se transcendeu. Que riqueza de detalhes, através da sua poesia vi os cabelos das ciganas a bailar no ritmo do vento, depois conheci o Cigano lindo, alto, o casamento, as roupas...Poesia perfeita, linda, rica...Aplausos, aplausos,amiga!

    ResponderExcluir
  42. Uma quarta feira toda linda pra voce minha querida amiga...beijos e beijos...

    ResponderExcluir
  43. Amapola,um lindo conto em versos perfeitos,rico em detalhes!Eu acho lindo o povo cigano,com suas saias rodadas e sua alegria!Um belíssimo poema!Bjs,

    ResponderExcluir
  44. Adorei sua narrativa, e como todas as culturas, essa é interessante também! Li uma vez a respeito, e diz que o amor a família está acima de tudo, nao é lindo?!

    Um beijao minha querida!

    ResponderExcluir
  45. Querida Amapola!

    Essa história linda em versos com uma métrica impecável...vivi no passado!
    Tinha um namorado cigano que minha família não deixou dar continuidade (puro medo!). Ele acabou-se casando com outra... Chorei muito na época...
    Adorei reviver as lembranças!

    Beijos

    ResponderExcluir
  46. Ah que abraco bom Amapola! Obrigada!
    Olha, voltei também para dizer que hoje li dois comentários seus, no blog da Lucimeire e do Fie que achei um escândalo de bons!!

    Outro abraco carinhoso,
    Cris

    ResponderExcluir
  47. Ah que visita boa... vim retribuir e me encantei...
    que lindeza de versos, e que homenagem linda a um povo tão discriminado..

    Adorei recebê-la e já te sigo feliz!

    Um beijo, Maria!

    ResponderExcluir
  48. Lindo poema minha amiga,
    belíssima narração de uma história cigana.
    Tua descrição é maravilhosa, sonseguiste transferir aos olhos do leitor as cenas, a imagina-las tão qual se mostrou.

    Lindo.

    Bjs

    Livinha

    ResponderExcluir
  49. Uma vida diferente do que estamos acostumados, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  50. Adorei teu comentário lá e eu tb. já vi...Era dourada e o homem nem doente tava.morreu no dia seguinte. Morro de ver essa cor agora na aura de alguém,rrs beijos,chica

    ResponderExcluir
  51. Muito boa sua decrição destes nomades que na minha infancia me enchiam de medo.Penso que muitas estorias sobre eles os tornaram nao desejados em cidades.Eram expert na preparação do cobre com belos tachos para doces.Bela lembrança Amapola,parabens.Bju de luz pela alegria e paz.

    ResponderExcluir
  52. Boa noite Amapola!

    Lindo post!
    Me fez lembrar a minha infância:
    Eu não podia ver ciganos nas ruas que eu larga a mão de minha vó,para acompanhar os ciganos,pedia para me levar(rsrsrs)na minha cabeça eu era uma cigana perdida,pelo menos era o que eu dizia para minha vó,guando ela me repreendia.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  53. Que lindo texto cheio de emoção, minha amiga, eu acho muito lindo o jeito dos ciganos.

    Pra falar a verdade eu tenho um lado cigana, já até acertei a sorte.. rs.

    Saudades de vc, amiga, eu estive cheia de afazeres, mas agora estou tranquila.

    Ate seu próximo post..

    Beijão.. Te adoro!

    ResponderExcluir
  54. Um dia de muito carinho pra voce minha amiga,,,beijos e beijos...

    ResponderExcluir
  55. Que beleza, Anapola!! Viajei até minha infância. Como tinha medo dos ciganos!!!
    Naquele tempo não se imaginava que o povo cigano fosse ser manchete nos jornais franceses, em cenas de espancamentos pela polícia de Sarkozy. Aqui no Rio, no centro da cidade, vê-se ainda algumas ciganas puxando nossos braços numa insistência oferta de leitura das mãos.
    Assisti um documentário sobre alguns rituais ciganos e achei muito interessante.
    Parabéns pelos belos versos!
    Beijosss e bom dia!

    ResponderExcluir
  56. Amapola,seu texto é belíssimo!
    Conhecí outro dia uma verdadeira cigana da Hungria que mora aqui num campo nômade,mas de realidade de vida bem diferente daquela que temos na nossa fantasia.Muitos imigrantes 'Rom'(como eles são chamados aqui) sofrem de discriminação e a sua cultura por consequencia também.
    Abraços pra você!

    ResponderExcluir
  57. Oi, Maria,
    Sempre tive medo de ciganos: cacoete cultural passado inadequadamente de uma geração para outra. Hoje eu os vejo diferente: muita alegria, colorido, palmas, música em lamentos... A magia cigana me encanta, atualmente. O modo como eles vêem Deus, a natureza, as cores, a família, a espiritualidade, o futuro, as pessoas, as sensações, como eles vêem a vida e a morte, o amor...enfim, como eles vêem o mundo.
    Adorei o seu post, minha linda. Viajei enquanto o lia. Um ótimo fim de semana pra você. Bjs com muito carinho!

    ResponderExcluir
  58. Olá Amapola!Gostei ,gostei, gostei!!!!Ao ler , melhor durante a leitura parecia que você era uma mágica tirando da cartola cada pedacinho e os espectadores(esta espectadora) não desgrudava o olhar.Muito bom te conhecer.Grande Abraço!

    ResponderExcluir
  59. Olá,

    Adorei o que meus olhos acabaram de ler, é uma narrativa extraordinária.

    Parabéns pelo seu fantástico trabalho e pela discrição que fez dos ciganos, esses que não param, que rodam pelo mundo, que vivem o bom da vida sem se prenderem a lugar algum… deparo-me com uma espantosa homenagem à cultura cigana.

    Um aparte, Amapola, nome Curioso e interessante. Gostei.

    Obrigada também pela sua visita… é um prazer para mim, ter alguém a ler aquilo que eu apelido “ das minhas tretas”…

    Cumprimentos e muita paz…

    ResponderExcluir
  60. Feliz páscoa querida Amapola!

    Agradeço seus sempre comentários carinhosos e certeiros.

    Beijao de cá!
    Cris

    ResponderExcluir
  61. Ciganos são controversos, ou os amamos ou os odiamos. Eu os adoro, especialmente a sua maneira de guardar segredos e o seu misticismo, eles me encantam!
    Beijo
    Adri

    ResponderExcluir
  62. Linda a sua maneira de escrever, contar uma estória com uma linguagem poética, eu sei que não é cordel, mas lembra um pouco o estilo deste gênero da escrita tão amada pelo nosso povo. Essa estória dos ciganos me lembrou de uma querida amiga blogueira que é muito especial para mim e que é descendente deste povo misterioso e maravilhoso. Parabéns pelo lindo texto, como sempre muito bem escrito. E obrigado pela sua visita generosa em meu blog literário “Alma de Mulher”. Beijos poéticos.

    ResponderExcluir
  63. Amapola, lindo nome!

    Seja sempre bem vinda na Jubiart!

    Uma Páscoa iluminada para vc e sua família.

    Beijooooooooo

    ResponderExcluir