quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

NASCE UMA PROSTITUTA

NASCE UMA PROSTITUTA

Em outubro de 1981 eu estava grávida de dois meses. Por falta de opção, fui morar outra vez, num pensionato.

Logo que cheguei, conheci a Helenice. Ela era uma linda mocinha de dezoito anos. Trabalhava numa imobiliária, e seu salário era tão pouco, que mal dava para pagar a pensão. Filha de lavradores do interior de Minas Gerais, ela veio para BH, tentando melhorar de vida.

Com sua alegria e criancice, ela nos divertia bastante. Era deslumbrada com a vida, com sua própria beleza, e tudo que o mundo pudesse lhe oferecer.

Num dia ela voltou do trabalho toda radiante, porque havia conhecido um homem de cinquenta anos, atraente e sedutor. Ele era viajante e quando estava em BH, ficava hospedado num hotel na praça Raul Soares.

Começaram a namorar. Um mês depois ele a tirou do emprego e passou a sustenta-la. Quando não estavam juntos, estavam se falando ao telefone, o que durava mais de duas horas.

Helenice era virgem e o namoro foi caminhando de forma respeitosa e conservadora, sem melindrar o seu sonho, que era de só se entregar ao seu homem, depois do casamento.

Dois meses depois, ele se mostrando muito apaixonado, disse que ficariam noivos e dentro de seis meses realizariam o casamento.

Alegando não ter tempo para ir na roça conhecer a família dela, ele preparou a festa de noivado no hotel mesmo, e pediu a dona do pensionato para substituir os pais dela, na hora da cerimônia.

Ela não se continha de tanta felicidade. Alguns dias antes, eles foram num restaurante e depois ele a levou para um motel, convencendo-a de que já que estavam perto de se casarem, não haveria nenhum problema, em anteciparem a lua de mel.

Na manhã seguinte ela chegou muito triste, sentou-se na cama, e mostrava uma grande preocupação. Logo em seguida começou a chorar, dizendo que havia se entregado àquele homem, e tinha medo que ele a abandonasse, e medo de uma possível gravidez.

Chegou o dia do noivado. Era sábado. Durante o dia todo ela cuidou dos seus belos cabelos pretos e longos. Foi no salão de beleza para fazer as unhas; e quando voltou, tomou um banho demorado. Depois colocou um lindo vestido preto, que foi presente do seu amado.

Sua beleza era de fechar o trânsito. Alguém avisou que o cinquentão já estava na porta do prédio, esperando por ela. Helenice desceu aquelas escadas como uma princesa, e foram para o hotel.

As colegas do pensionato já haviam ido primeiro, para ajudarem na decoração do salão de festas. Só eu não fui, porque ficava o dia todo deitada naquela cama beliche, de onde só saía para ir ao banheiro. Os enjoos eram tanto, que eu ficava mais tempo no banheiro, que na cama.

Por volta das vinte e duas horas, todas elas chegaram falando alto e ao mesmo tempo, enquanto a Helenice se desmanchava em lágrimas.

Contaram que, no momento da entrega das alianças, uma senhora idosa entrou apressadamente no salão, dizendo aos berros que era a esposa dele, e que tinham quatro filhos. Disse também que ele tinha vários outros filhos, de um casamento anterior.

Helenice chorou a noite toda. No dia seguinte, ficou calada sobre aquela cama, mas estava pensativa e distante.

No outro dia ela se levantou cedo, conversou como se nada tivesse acontecido, e ficou se maquiando e cuidando dos cabelos.

À tarde, vestiu-se com uma calça branca muito apertada, muito colada no corpo. Colocou uma blusa com um decote imenso, e disse assim:

__Sabem o que vou fazer da minha vida? Vou ser prostituta!

Ficamos espantadas, e cada uma de nós tentava lhe dar conselhos. Ela pegou sua bolsa, foi para a Boate Sagitarius, e só voltou no dia seguinte. O dinheiro que ganhou lá, ela espalhou sobre a cama, como se aquilo fosse um troféu.

O seu vocabulário foi ficando cada vez mais vulgar, e todos os seus assuntos eram sobre sexo. Ela era uma boa menina. Mandava dinheiro para sua família, alegando ter encontrado um emprego que lhe pagava bem.

Aquela rotina foi trazendo muitas doenças venéreas pra ela, o que consumia grande parte do seu dinheiro. Como se não bastasse, ela se apaixonou pelo garçom da boate, que não fez outra coisa senão assedia-la, desde que a conheceu. Ele era casado e tinha filhos.

Ele começou a arranjar-lhe programas com homens de posse, porque uma parte do dinheiro seria a comissão dele. Helenice tornou-se amante desse rapaz.

Ao vê-la ganhar muito, ele começou a dizer que estava com dificuldades financeiras. Cada dia mostrava pra ela uma receita de remédio que ele teria que comprar para seus filhos. Tais medicamentos eram sempre caros. Ela não fazia nenhum questionamento, e dava-lhe mais e mais dinheiro.

Quando chegou a hora do meu filho nascer, eu tive que arrumar outro lugar para morar. Mudei-me dali, mas sempre que podia, ia visita-las.

Numa tarde quando cheguei lá, encontrei-a de malas prontas. É que a mulher do garçom havia descoberto o romance deles, e fez ameaças contra a vida dela.

Com o semblante muito preocupado, ela disse que estava indo prostituir-se em São Paulo. Comentou que lá, além dela ganhar mais dinheiro, teria a chance de esquecer o amor que sentia por aquele sujeito. Aquele... Inescrupuloso, cafetão... Gigolô... Cretino!

08/12/2010

42 comentários:

  1. Caso triste amiga. ! Mas era assim mesmo naquele tempo.. Um dezembro de muito amor pra você. Bjs .Edna.

    ResponderExcluir
  2. Não tenho cadernos.
    Tudo o que escrevo,
    escrevo nas paredes do meu quarto.
    Se é para estar presa,
    que seja entre quatro poemas...

    ¬ Rita Apoena ¬

    Bom dia.......Beijos de coração prá coração..........M@ria

    ResponderExcluir
  3. Que triste história! Pena! beijos, lindo dia,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  4. Olá Amapola
    Infelizmente essa é a estória de muitas outras Helenices que existem por aí, e o que não falta são cafajestes para se aproveitarem da situação.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Oii Amapola queria, poxa que saudade estava de ti.
    Que bela história, heim.
    Agora imagine, se em 1981 as pessoas se tratavam assim com tal desrespeito... o que sobra nos dias de hoje?

    Que bom que voltaste.
    Bjusssss

    ResponderExcluir
  6. Que estória triste amiga, hoje não existe mais diferença entre prostitutas e "meninas de família", está tudo tão misturado que não se sabe mas quem é quem. Mais triste ainda.
    Que Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  7. Querida Amapola, quantas Helenices encontramos em nossa vida... quantas histórias mais de perto ou não, compartilhamos nesse amargo da vida, nesses sonhos entregues em ilusões?
    Helenices em busca da mesma coisa que todas as mulheres buscam, todos os homens, todo ser vivo: felicidade, paz, segurança.
    Nem todos conseguem seus sonhos e alguns, acabam por entregar os pontos no meio da batalha.
    Não sei se ser prostituta é vergonhoso, como algumas pessoas dizem.
    Mais vergonhoso é a prostituição da alma, do caráter. Vemos tanto disso na política. Verbas bilhonárias desviadas da saúde para beneficio de meia dúzia de políticos e com isso, helenices perdem sua chance de um parto decente, uma vida melhor e quem sabe até mesmo, uma morte mais humana.
    Helenices da vida!

    Mais prostituição foi o homem que engravidou essa moça. Esse sim, esse foi o prostituto da vida de Helenice!

    Seus posts, sempre falando de vida. Dessa vida que vamos abrindo caminhos e tentando entender porquês!

    Posts para pensar o que eu posso fazer para tudo ser menos ruim.

    Minha Querida, um beijo enorme e sempre é tão bom, tão bom e tão bom ler vc!

    ResponderExcluir
  8. Querida amiga EDNA LIMA:

    Visitei seu blog agora, e adorei aquele texto do Mário Quintana. A última frase ficará pra sempre na minha memória: "QUEM NÃO COMPREENDE UM OLHAR, NUNCA COMPREENDERÁ UMA EXPLICAÇÃO"
    Amei!!!

    Tentei fazer este comentário lá, mas outra vez, tudo que escrevi não foi registrado.
    Tomara que seja algum defeito passageiro.

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  9. Amapola, obrigada pela visita.Que crônica bela! Adorei. Já sou sua seguidora.
    beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá Amapola!
    Casos desses infelizmente, existem por todo o lado, porque há tipos desses também por todo lado, que se aproveitam desses meninas, que caiem fácilmento no conto do vigário.

    um beihjinho grande,
    José.

    ResponderExcluir
  11. Minha amiga,, infelizmente esta é a verdadeira história de muitas e muita meninas,, que ao primeiro deslize acabam assim.O mundo está podre, mas o bicho homem é que o apodrece de todas as formas e feitios.
    Beijinhos de luz e muita paz

    ResponderExcluir
  12. Querida Amapola, passando pra retribuir o abraço. Amanhã, eu volto e a comento.
    Beijos!!!
    Renata

    ResponderExcluir
  13. Querida Amapola flor

    Senti tanta saudade de você!
    À sua volta, tudo é doce, encantador.
    Vc nos envolve com a sua ternura.
    Obrigada !
    Beijos
    Fátima Guerra

    ResponderExcluir
  14. Amapola,
    conheço pessoas assim, que pela fama da prostituição dar dinheiro, caem na vida e depois qdo querem sair não consegume pq qdo o dinheiro se torna fácil demais...
    Essa vida é triste pq em um dia há mto dinheiro e no outro nada há!

    bjo

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Adorei ter encontrado alguém com tanto talento e sensibilidade para perceber a realidade e reproduzi-la de uma forma apaixonante.
    Li e imaginei: como estará Helenice? Que se passará agora no seu coraçãozinho sufocado de dor? E imaginei, também, como estarão todas as Helenices que existem no mundo? Parabéns! Amei seu blog!

    ResponderExcluir
  16. Oi Amapola!
    Vim retribuir sua visita tão gentil.
    Que história essa... infelizmente, mais comum do que se imagina.
    Voltarei sempre ;)
    Beijo grande

    ResponderExcluir
  17. Historia triste, como tantas que existem por ai,,,um grande beijo de bom final de semana pra ti querida amiga...

    ResponderExcluir
  18. Minha amiga, a vida para muitas pessoas pode
    ser BRUTAL.Esta sua história demonstra-o.
    Beijinhos/Irene

    ResponderExcluir
  19. Maria Auxiliadora queriiiida!

    O ano está terminando...
    Quero agradecer a você pelas alegrias que me proporcionou em 2010!
    Sua participação nos meus blogs, seus comentários, suas visitas que tanta alegria trazem ao meu coração.
    Desejo a você um lindo Natal, cheio de paz, saúde e felicidade!
    Que 2011 seja espetacular para você!
    Que continuemos e aprofundemos a nossa amizade virtual que torna tão especial e feliz a nossa vida real!
    Boas Festas!!!
    Beijos, muitos!
    Sônia Silvino's Blogs
    Vários temas & um só coração!

    ResponderExcluir
  20. Belo blog, bela postagem!!

    Parabéns, muito bom!!!

    Veja o meu...
    http://mailsonfurtado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Vim aqui para dividir com vc, minha Amiga Querida e Amada!
    Hoje faz 26 anos que meu avô morreu e parece que foi ontem. Minha avó morreu dois anos depois. Na verdade, morreu no dia que ele se foi. Nunca mais sorriu, nunca mais esperou o dia ou a noite. O médico disse: ela morreu de saudade!
    Eles são meus Mestres, meus amores, meu exemplo de caminho; assim como minha mãe. Meus avós foram aqui, nesta vida, anjos que ensinaram-me muito e se tenho algo de bom devo a eles e a minha mãe.
    Por tudo, acho que vc tinha que saber de quem eu falava no post; coisa que não quis colocar lá...é muito minha, muito eu, muito amor pra dividir.
    beijo enorme e cheio de carinho!

    ResponderExcluir
  22. rs.........Vc conseguiu destinguir a tatuagem?
    Ela tem um significado forte na minha vida, sim! Como vc disse: marcada a ferro e amor. Para sempre!
    Ahhhhhhhhh, minha amiga!

    ResponderExcluir
  23. Nossa amada que história heim!!!
    Mas eu ñ acho que seja razão para se prostituir. Uma decepção machuca e fere muito mas... chegar a esse ponto é bem complicado.
    Nessas condições passamos a ser vistas como coisa sei lá.
    Melhor ñ julgar ñ é mesmo?
    Adorei ler.
    Beijokas mil.

    ResponderExcluir
  24. Amada, deixei um email pra vc te explicando tudo (peguei o email do seu perfil do blog - mariamapola@yahoo.com.br)

    Semana que vem estarei de volta, e se Deus quiser com noticias boas.

    amo vc!

    Beijo

    ResponderExcluir
  25. Não é uma história incomum. Helenice há mais de uma, diria, muitas e isso é muito triste. Hoje em dia, há mais orientação quanto a prostituir-se. Mas quanto a cair nas garras do lobo mau, ainda estamos no tempo de Perrault.
    Muito bem escrita, como sempre. Minha querida, fiz meu último post do ano e quiçá..., em que desejo Feliz Natal. Apareça.
    Beijos!!!
    Renata

    ResponderExcluir
  26. Bom dia, Amapola!

    A história de Helenice é a história de muitas meninas que tem o coração cheio de sonhos e acabam decepcionando-se com os dissabores da vida... Acham de alguma maneira ter encontrado uma saída, porém vão cada vez mais mergulhando no poço da escuridão e mais decepções vão vindo, infelizmente.
    Gostei de conhecer seu espaço, de seus escritos, demonstra muita sensibilidade ao escrever o meio que a cerca, parabéns!
    Convido-a a conhecer meus fragmentos, será um prazer receber sua visita por lá.
    Tenha uma semana próspera e de muitas vitórias.
    Bju em seu coração!

    ResponderExcluir
  27. Amapola, como vc sabe sobre um episódio de domingo...num almoço????????????????????

    ResponderExcluir
  28. Amapola, acho que estmao muito mais perto uma da outra do que podemos imaginar!!!!!
    Estou emocionada!
    Obrigada por tudo. TU DO.
    Vc nem sabe o que significa saber que alguém reteve na memória aquela história.
    Meu afeto pra vc.
    Abraço sem tempo pra soltar!

    ResponderExcluir
  29. Ele testemunhou diversas primaveras
    com botões eclodindo em fragrâncias e tonalidades,
    colheu manhãs azuis, diáfanas, suaves,
    envolvido pela brisa perfumada.

    Fátima Guerra

    Beijos & Flores & Poesia...M@ria

    ResponderExcluir
  30. Um lindo dia recheado de versos, muito carinho amor e paz...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  31. Olá Amapola!
    Bom dia, e continuação de boa semana.

    Beijinho grande,
    José.

    ResponderExcluir
  32. Bom dia, Amapola retribuindo a visita achei seu blog maravilhoso, triste historia, mas que ainda se reprete nos dias de hoje... bjs de luz...

    ResponderExcluir
  33. olá, Amapola.. obrigada pela visita. Te desejo tudo em dobro. Agora, quanto a nossa amiga aí, ela fez o que quis fazer e preferiu continuar assim! Espero que tenha tido um pouco de sorte na vida. Beijo

    ResponderExcluir
  34. Olá Amiga conterrânea!
    Engraçado isto de só comentar no post anterior.
    Vai entender!
    Mas fico grata e feliz com sua gentileza.
    Um belo e Feliz Natal pra vc e os seus. Bjs Edna.

    ResponderExcluir
  35. Realmente de se arrepiar!
    Sensacional
    Parabens
    Abrçs

    ResponderExcluir
  36. Oi Amapola! :) Que visita boa, vim te visitar tambem, depois volto com calma para ler mais esta sua postagem, estou na lanhouse resolvi cancelar minha internet a radio, 'foi vc que comentou comigo sobre isso um dia não foi?' cancelei e pedi velox pois estou des de domingo sem net achei um descaso com os clientes, vamos ver se a velox é melhorzinha.. bjs!

    ResponderExcluir
  37. Um dia cheio de carinho, paz, amor e muita poesia pra ti minha querida...muitos beijos.

    ResponderExcluir
  38. Olá , Amapola !

    Obrigada por me encontrar, ... :)
    Excelente seu texto , triste mas verdadeiro.
    Tem emoção no que escreves.

    Te Sigo com Alegria!


    Bjo e uma Noite de Paz.

    ResponderExcluir
  39. Dentro de minhas limitações, digo-te que adorei o texto. Bom tempo. E 'que cada um respire, como é de direito Respirar". Bem-vinda ao Ex-Blog. Ótimo o teu espaço. Saudações, Jacson Faller.

    ResponderExcluir
  40. Obrigada pela visita ao onzepalavras e pelo comentário. Já estou seguindo-te em todos os seus blogs (quantos!), e vou lê-los com calma e com tempo.

    Volte mais vezes.

    Ana

    ResponderExcluir